Pages

Saturday, June 02, 2007

Epiphany: o pequeno, mas completo

Dentre a infinidade de navegadores existentes no mundo linux, o Epiphany, também conhecido como "Gnome Web Browser"*, chama atenção pela leveza e, principalmente, por ter suporte a javascript.

Eu posso dividir os navegadores existentes em dois tipos, os grandes, pesados** e cheio de suportes e os pequenos, leves, mas sem suportar muita coisa. Eu, particularmente, uso esses dois tipos de navegadores, a primeira categoria, enquadra-se navegadores como Firefox, Opera, Konqueror, no segundo tipo temos o links, lynx e outros navegadores de modo texto. Os primeiros suportam javascript, java, extensões, plugins diversos e outras coisas que eu ainda nem sei que existe. Os do segundo tipo suportam, no máximo, figuras (links2 em modo gráfico), alguns mal suportam tipos diferenciados de formatação em HTML (por razões óbvias que deixo para outros discutir).

É nesse ponto que o Epiphany leva imensa vantagem sobre esses dois tipos de navegadores. Ele não é grande, não é pesado, mas suporta um tipo de recurso imprescindível para uma navegação atual: o javascript.

Bom, mas onde eu quero chegar? Como a maioria dos alunos de pós-graduação em áreas que envolvem computação em sistema linux, eu também possuo um conta ssh para gerenciar serviços a distância, o problema é que muitas vezes eu preciso de usar o navegador que tenha suporte a javascript, mas minha navegação é lenta demais para ter a paciência de inicializar o firefox, é aí que entra o Epiphany.

Se vive a mesma situação que eu, necessita, por algum motivo, de um navegador leve, mas não pode abrir mão do suporte a algumas tecnologias***, como o javascript, experimente o Epiphany.

Agora, você percebeu que o tempo vai se encarregar de transformar essa minha necessidade em "nada"? Haverá um dia que a minha banda de navegação será suficiente para abrir o Firefox sem qualquer problema, nesse dia eu não precisarei mais do Epiphany, até lá, ele ainda é uma ferramenta muito útil.

* Não sabia ? O Epiphany é dito como o navegador oficial do Gnome, isso é verdade na maioria das grandes distribuições, exceto o Ubuntu.
** "grande e pesado" são adjetivos relativos, um exemplo disso é que o Firefox pode ser considerado levíssimo perto do velho Mozilla Web Browser ... portanto, sem "flame war" por favor.
*** O Epiphany também suporta plugins e extensões, dentre as quais eu destacaria a Greasemonkey, mas eu nunca testei nenhum desses recursos extras.

2 comments:

  1. Uso o Epiphany há um bom tempo, e adoro. O melhor recurso é justamente a integração completa ao GNOME, apesar do Firefox também se integrar bem (ao contrário do OpenOffice.org). E o Epiphany tem suporte a extensões, que devem proliferar devido ao Python e à união de forças com o pessoal do Galeon.

    ReplyDelete
  2. Pois é, eu não sou muito bom em prever o futuro, mas eu não arriscaria um futuro muito longo ao Epiphany. Sinceramente, espero que eu esteja errado.

    Espero que o destino do epiphany seja bem diferente do dillo, mas que ele ainda permita ser tão leve quanto é hoje.

    Abraços e obrigado pelo comentário.

    ReplyDelete