Pages

Saturday, August 09, 2008

Vários filmes e uma crítica

Acho que estou exagerando nesse negócio de criar filmes com títulos pretensiosos, mas o objetivo é fazer uma limpeza da linha lista de filmes para comentar antes que eles se tornem antes que todos os cidadãos que viveram a época de lançamento do filme morram de velhice.

Então, dando continuidade ao processo, agora temos vários filmes, com comentários curtos. Quase todos os filmes dessa lista já estão em DVD, excessões, como "O Procurado e Hancock" são raras.
[update] Agora que vi que publiquei o texto sem fazer a revisão ortográfica. Um acidente e tanto ! Sorry ! Espero que agora não tenha ficado nada para trás. [/update]
  • Speed Racer - Eu pensei que esse filme ia ser pior. Não acreditei quando vi o resultado. Ficou um filme agradável de ser visto.
  • Eu Sou a Lenda - Oscila entre cenas fantásticas e cenas confusas. Achei exagerado a crítica positiva feita pela maioria na época, mas não compromete. Não é indicado para quem não gosta de pensar enquanto vê um filme. O que lembra, veja o final alternativo.
  • Hitman - Assassino 47 - Esse é indicado para quem não quer pensar. É preciso muito esforço para achar uma história nesse filme. Não é perda de tempo, mas está longe de ser qualquer coisa similar a bom
  • Diamante de Sangue - Drama/Ação de boa intensidade. É um filme politicamente correto que tem um desfecho muito bem realizado.
  • Volver - É um filme de Pedro Almodóvar. Preciso acrescentar algum outro comentário ? Mesmo o pior Almodóvar (que, na minha humilde opinião, não é caso) consegue ser melhor que muito filme por aí.
  • O Assassinato de Jesse James - Eu esperava muito mais desse filme. Achei interessante porque nele os "bandidos" e "heróis" do velho oeste são retratados como seres humanos, não como super-heróis que matam 500 caras com uma pistola.
  • O Procurado - É a pior adaptação de quadrinhos que já vi e creio que nunca verei nada pior, mas é um filme interessante. Só não se pode dizer que é uma adaptação de alguma coisa. Vamos dizer que é um filme mediano de um enredo completamente original. Aliás, a Fox nos quadrinhos tem a cada da Hale Berry. A pior parte mesmo é que eu fui ver isso no cinema...
  • Hancock - Invenção interessante. Possuí inúmeras mensagens subliminares, mas, por incrível que pareça, estas foram utilizadas com um artifício de propagar mensagens corretas, como amor, compreensão, respeito, coisa e tal. Eu espero que tenha um Hancock 2, já que nele nós já conheceremos o herói e os desafios podem ser mais dinâmicos. Ainda assim, vale lembrar que o charme desse filme está na origem. Está no princípio da mudança do antes para o depois. Um filme 2 pode ser uma oportunidade de aprofundar discussões ou de não fazer nada.
  • Cloverfield - Monstro - Eu esperava menos desse filme. Ele é muito melhor do que eu imaginei, mas muito mesmo. Para detalhes eu aconselho ler esse texto do Cardoso. Esse texto explica algumas coisas, e detalha as contra-indicações do filme. Aliás, obrigado ao Cardoso, porque se não fosse esse texto eu NUNCA teria visto esse filme. Quem ia acreditar que isso era bom olhando a resenha do filme ?
  • Babel - É um filme riquíssimo em conceito, mas é muito importante que esteja com disposição para ver filme. Eu achei um filme cansativo.
  • Memórias de um Gueixa - Um dos mais velhos da lista. É um filme excelente especialmente devido a fotografia do filme. Uma das melhores dos tempos recentes.
  • O Ilusionista - Esse é outro filme que eu esperava menos. Esperava menos tudo, mas no fim é um bom filme. Não é para quem gosta de bang-bang, mas também não é parado. Não é uma história de amor mel-com-açúcar (sim, mel), nem é completamente sem sentimentos. Um filme despretensioso e de qualidade.
  • Xeque-Mate - Nome imbecil para um filme muito bom. Eu ainda não sei o que é isso, um suspense/ação/drama ? Talvez tudo isso um pouco. Se gosta desses gêneros e ainda não viu esse filme, procure imediatamente por ele na locadora mais próxima.
  • O Mestre das Armas - É engraçado como Jet Li faz bons personagens e histórias quando seus filmes são feitos na China. É um filme do gênero "O Tigre e o Dragão", mas baseado em fatos reais.
  • A Rainha - Uma "Rainha" também é gente. Se você gosta de um drama de qualidade, interpretado de forma perfeita, esse filme é obrigatório. Até comprar DVD ! Fique atento a conversa entre a Rainha e o Primeiro Ministro no fim do filme e depois pense um pouco em tudo que aconteceu na história mais ou menos recente.
  • Conduta de Risco - Drama/Suspense envolvendo advogados. Um filme politicamente correto com um título prá lá de comprometedor. Deve ser muito difícil dar um nome a um filme. Esse filme vale apena ser visto por quem gosta do gênero.
  • Onde os Fracos Não Têm Vez - Um filme deve ter três elementos básicos. Começo, meio e fim. Esse filme não tem "Começo" e nem "Fim", ou pelo menos eles não estão presentes da mesma forma que supostamente deveria estar presente um um filme. Eu vi esse filme a um bom tempo e ainda não me decidi sobre o que achar dele. Certamente, isso, por si só, é surpreendente.
  • Tropa de Elite - Acredite ou não, só vi esse filme a pouco tempo. Achei ele muito melhor do que eu imaginei. É, provavelmente, a melhor comédia do cinema nacional dos últimos tempos. Sim, comédia, tem algumas situações tão absurdas, mas tão absurdas, que você não acredita que alguém possa ter imaginado uma coisa dessas. Aquela cena do carburador do carro !!! Impagável. E aquela história de mudar o corpo do bandido de lugar. Fala sério, eu rio só de pensar na situação. Tem alguns depoimentos bem impactantes, etc e tal. Mas é como se disse muito por aí, todo mundo que pode pensar sobre esse assunto, sabe que traficante depende de quem compra drogas e quem compra drogas tem dinheiro. Não sei porque polemizar um assunto tão batido. Aliás, eu ouvi gente dizer que o filme retratava um estado "fascista". Eu acho que eu desaprendi o que é fascismo. Se quiser levar para um lado político, diga que ele retrata um estado "totalitário". E só para constar, todo regime fascista é totalitarista, mas o inverso não é verdadeiro. O que me lembra, leiam "1984" de George Orwell. De qualquer forma, para mim o filme é uma comédia/ação com um certo teor de discussão político-social.

13 comments:

  1. Kurt Kraut9/8/08 21:21

    Que cenas você achou 'confusas' no 'Eu sou a Lenda' !?

    ReplyDelete
  2. Opa Mitre!

    Tá fazendo uma limpeza na lista de textos para publica :-)

    Dos filmes da sua lista que ainda não vi, mas fiquei com vontade de assisti é o Procurado/Wanted...

    Pelo que estão falando (você inclusive) este filme parece ser uma evidência de que minha teoria está errada: Eu tinha uma teoria de que Se o Morgan Freeman estivesse num filme, ele (o filme) seria bom :-(

    Eu vi uma matéria sobre este filme no canal AXN, e fora a balística e física mística também me interessou os labios da Jolie :-)

    ReplyDelete
  3. Kurt,

    Esse filme é uma adaptação de um livro de 1954 (a data não é importante, é apenas para referência). Ele traz todos os traços do filme. Todos, mas traz a questão "eu sou um filme blockbuster". É interessante que é exatamente no ponto que o filme começa a se distância filosoficamente do livro que o filme começa a perder força. Isso acontece bem no momento que Neville encontra os sobreviventes.
    Se não tiver problemas com spoiler de livro (ou seja, se não se importar ou se não pretende mesmo ler o livro) veja
    esse texto - note que o filme e livro são razoavelmente diferente e terminam de forma completamente diferentes. Eu discordo desse autor quando ele diz que a adaptação não comprometeu, mas ele mesmo é contraditório ao dizer que esperava mais do filme. Bom, eu também. E concordo com a observação dele sobre o tempo. Se tivesse mais 30 minutos de filme o final teria tido o mesmo tom do início e meio do filme. Faltou pouco para esse filme ser realmente muito bom.

    Agora me explica alguns detalhes: se o filme é realista - ou tenta ser - como exatamente nenhum infectado sabia onde o Neville morava ? Como alguém que mora em um lugar desses e passou tempos se defendendo tem uma casa que leva 5 minutos para ser invadida ? Que tipo de fortificação era essa ? Eu achei até o momento da invasão, que todos os dias a casa era atacada. Incondicionalmente. Seria mais razoável.

    E não me entenda mal, eu achei um bom filme, eu só esperava mais, muito mais.

    ReplyDelete
  4. Kurt,

    Esse filme é uma adaptação de um livro de 1954 (a data não é importante, é apenas para referência). Ele traz todos os traços do filme. Todos, mas traz a questão "eu sou um filme blockbuster". É interessante que é exatamente no ponto que o filme começa a se distância filosoficamente do livro que o filme começa a perder força. Isso acontece bem no momento que Neville encontra os sobreviventes.
    Se não tiver problemas com spoiler de livro (ou seja, se não se importar ou se não pretende mesmo ler o livro) veja
    esse texto - note que o filme e livro são razoavelmente diferente e terminam de forma completamente diferentes. Eu discordo desse autor quando ele diz que a adaptação não comprometeu, mas ele mesmo é contraditório ao dizer que esperava mais do filme. Bom, eu também. E concordo com a observação dele sobre o tempo. Se tivesse mais 30 minutos de filme o final teria tido o mesmo tom do início e meio do filme. Faltou pouco para esse filme ser realmente muito bom.

    Agora me explica alguns detalhes: se o filme é realista - ou tenta ser - como exatamente nenhum infectado sabia onde o Neville morava ? Como alguém que mora em um lugar desses e passou tempos se defendendo tem uma casa que leva 5 minutos para ser invadida ? Que tipo de fortificação era essa ? Eu achei até o momento da invasão, que todos os dias a casa era atacada. Incondicionalmente. Seria mais razoável.

    E não me entenda mal, eu achei um bom filme, eu só esperava mais, muito mais.

    ReplyDelete
  5. Sérgio,
    ir ver esse filme no cinema foi meu maior arrependimento do ano.

    Mas você levantou um ponto interessante, Morgan Freeman. Eu não sei o que está acontecendo (eu realmente não acompanho a coluna de fofocas) mas tem algo errado com esse cara. Ele está aceitando todo e qualquer tipo de papel que apareça na frente. Talvez esteja planejando se aposentar e com isso aceitando qualquer fonte de renda possível. Me lembro que aconteceu uma coisa similar com Sean Connery, de uma hora para outra ele começou a aceitar qualquer coisa e depois se aposentou. O ponto é: a hipótese não é mais verdadeira. Agora, nessa para essa hipótese, sobrou apenas o Tom Hanks. Está faltando bom ator (digo: ATOR) no mercado.

    ReplyDelete
  6. Opa Mitre!

    A hipótese do Morgan Freeman estar se preparando para uma aposentadoria é bem palusível... vou acompanhar!

    Eu sei que você focou no mercado estadunidense, mas eu acho o Mateus Narthegahali (não sei se está escrito corretamente) é um dos atores que seguem minha hipótese :-)

    E concordo com o Ton Hanks também :-)

    ReplyDelete
  7. Na verdade, na verdade eu sou fã mesmo é do cinema Italiano e Inglês (dos poucos que eu consegui achar para ver, eu gostei de todos). O cinema americano, com raras (e BOAS) excessões, foi feito para você ver e descartar da cabeça. A questão é que quando você vê, não importa o quão ruim seja, ele fica na sua cabeça de forma que você não consegue se livrar tão cedo. O outro ponto é que é bem difícil achar material sobre filmes europeus nas locadoras. Atualmente é comum encontrar filmes alemães. E alguns são bons (até muito bons). Tenho minhas ressalvas quanto a filmes japoneses e chineses. Alguns são ótimos, outros eu nem olho a capa (mas isso é estilo pessoal, apenas!) e raros são os filmes indianos com os quais eu me simpatizei. Vi três, só gostei de 1, mas nem me lembro o nome. Eu também tenho meu pé atrás com os filmes franceses. Eles possuem um estilo único que pode fazer o filme ser excelente ou tão terrível que você se sente enganado pelo script.

    Agora, eu vou confessar uma coisa, SOU PÉSSIMO COM NOMES. Mateus Narthegahali, por exemplo, eu li o nome, reconheço a existência dele, mas não consigo associar o nome a imagem do sujeito e, portanto, não consigo me lembrar de quem ele é realmente. Com esse nome, apenas me vem em mente de que é um bom ator, mas nem ao menos associar a um único trabalho dele eu consigo. (Cá entre nós, o nome - como escrito acima - nem o google reconheceu...).

    Mesmo os filmes que consigo contar ponto a ponto do início ao fim, as vezes me falha os nomes de personagens e do título, imagine o nome dos atores.

    ReplyDelete
  8. Opa Mitre!


    O nome estava grafado errado :-)

    http://matheusnachtergaele.vilabol.uol.com.br/

    Eu esqueci o nome do filme, mas o que eu mais gosto é um baseado na obra do Suassuna... onde ele é muito engraçado...

    Tem um filme japones que eu vi que achei sensacional (o cara mantém um cara preso durante 20 anos só por conta de uma desavença na adolescência)... depois eu procuro pois até bloguei sobre ele... *tem muito tempo)... mas eu não sou cinéfilo como você :-)

    ReplyDelete
  9. Sim, bom ator. Bom até demais para o cinema que ele trabalha.

    Eu acho que você está falando do "Auto da Compadecida", certo ? Nesse filme ele conseguiu ser mais engraçado do que o Didi !

    Ele tem ótimos trabalhos.

    ReplyDelete
  10. Isso mesmo!

    Mas qualquer um consegue ser mais engraçado que o cahto e óbvio do Didi :-)

    ReplyDelete
  11. Sérgio,

    Hoje isso é verdade !

    Na época que o filme foi feito, não é era!

    Os trapalhões faziam filmes estruturalmente mal feito, sem história (exceto o Auto da Compadecida), usavam e abusavam da violência em alta velocidade, fotografia pra lá de questionável, mas era impossível ficar sério diante da tv ... até que o Zacarias faleceu.

    Aí ... nada dura para sempre !

    ReplyDelete
  12. Não falamos sobre curta metragens? Assisti na 32a Mostra em São Paulo o filme (curta metragem) Carta Vermelha (titulo original Red Letter). O filme se destaca dos outros curtas, pois a linguagem e fotografia é de filme de longa metragem de 1a categoria. É uma trama para assassinar Hitler em 1940 em Paris. O thriller so tem 10 minutos e faz com que a plateia fique esperando que venha mais. Acredito que foi filmado em película, e a atriz é um colírio. Tenho assistido aos curtas na mostra pois acredito nos novos talentos, e que surpresa emocionante ao assistir este filme. Estive morando na Inglaterra por 2 anos e percebi como são importantes os curtas por lá. Acredito que o Brasil esta realmente avançando neste campo, mostrando o que a de melhor com baixo orçamento e muita criatividade e jeito brasileiro.

    Vale a pena ver.

    Antonio Vogg

    ReplyDelete
  13. Antonio,
    tem uma coisa interessante nos curtas que eu sempre gostei muito: eles são curtos. Diversão rápida com contos diferentes muitas vezes são muito mais emocionantes que um longa.

    Por outro lado, eu não vejo essa evolução na divulgação de curtas no Brasil que você menciona.

    Os lugares onde é possível ver curtas hoje, no Rio, são os mesmos a 10 anos. Todos são fundações.
    Acontece, que eles são longe de onde eu moro e o tempo, a muito tempo, não me permite mais ver esses curtas.

    Há um outro movimento que tenho esperado com certa ansiedade: são os curtas no youtube (e não estou falando de pirataria - os autores divulgam os mesmo no youtube depois deles terem passados pelos festivais. É uma forma de divulgar um gênero que raramente chega a locadora). Quando esse movimento ficar mais claro (ele já está acontecendo, mais é difícil separar algumas coisas) eu vou voltar a ver os curtas que não chegam nas locadoras (que são a maioria).

    Abraços (e obrigado pelas dicas).

    ReplyDelete